Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Decidi dar o meu pequeno contributo para um assunto comum a muitas mulheres: a pílula.

Antes de mais vou sublinhar que NÃO SOU MÉDICA, por isso o que está abaixo é apenas uma relato pessoal da minha quase odisseia para encontrar uma pílula. Sendo técnica de saúde, sinto-me obrigada e reforçar que ninguém deve tomar a pílula sem indicação do médico e que qualquer mulher que tome a pílula deve ir com frequência ao ginecologista. Depois dos avisos à navegação passemos então ao que interessa ☺

Eu tenho imensas amigas que tomam a pílula e nunca tiveram problema absolutamente nenhum pelo que confesso que quando comecei a tomar e tive problemas achei que estava uma bocado sozinha no mundo (um bocado dramático eu sei), mas a realidade é que mesmo com os médicos a dizerem que era normal e que há muita gente que tem dificuldade em encontrar a pílula certa, o que me mais ajudou foi dar com vários blogues e fóruns de discussão onde efectivamente aparecia muita gente que também tinha dificuldade em encontrar uma pílula que fosse adequada ao seu caso. Por causa disto resolvi partilhar a minha experiência, pode ser que o meu relato ajude alguém como os relatos de outras pessoas me ajudaram a mim. Comecemos então pelo início.

A primeira pílula que me receitaram foi mais para controlo das borbulhas que outra coisa. Durante a adolescência propriamente dita não tinha muitas, mas a partir dos 19/20 anos tinha uma pele horrível. A ginecologista disse-me que aquilo era hormonal e que a pílula resolvia. A minha mãe não pode tomar a pílula, e eu disse-lhe isso, mas ela disse-me que hoje em dia as pílulas eram diferentes e que eu não me preocupasse que não havia problema nenhum. Receitou-me Yasmin®. Logo no segundo dia tinha umas dores de cabeça horríveis, ao fim de uma semana telefonei-lhe e ela disse-me para insistir que era uma questão de habituação. Insisti e não passou, pelo que telefonei e recebo a seguinte resposta: “pois mas isso na sua idade não é normal, devia ir a um cardiologista, mas olhe experimente a minigeste®” como se pode calcular fiquei muito feliz com a resposta e nada preocupada. Bem, o certo é que deixei de ter dores de cabeça e embora tenha engordado um pouco (nada de assinalável) a coisa parecia estar a correr bem e a pele melhorou um pouco. Ao fim de 3 meses a tomar a pílula comecei a andar muitas vezes enjoada, depois comecei a vomitar de manhã e passava o dia que só me apetecia estar na cama; ao fim de uns meses vomitava todos os dias de manhã. Fui a um gastrenterologista que me disse que tinha síndrome do cólon irritável e que era hipotensa. Medicou-me mas disse-me na altura que achava que os meus sintomas não vinham só daí mas que se calhar era pílula que me estava a fazer mal. Durante o mês de tratamento correu tudo bem, até porque tomava comprimidos para os enjoos, mas assim que parei voltei a vomitar e acabei por deixar de tomar a pílula (aqui sim por decisão própria porque como podem supor a minha médica não foi muito receptiva á ideia do problema ser da pílula). Ah, já agora importa partilhar que contava isto às minhas amigas e elas muita admiradas porque nunca nenhuma delas tinha tido o mínimo problema, quanto mais enjoos matinais horríveis que nem podia tomar o pequeno almoço, logo eu que adoro pequenos almoços!!

Fase II, a médica de família: falei com a minha médica de família, disse-lhe que estava a pensar trocar de seguro de saúde e de ginecologista mas queria uma pílula, desta vez apenas para efeitos de contracepção e contei-lhe a história. Dado o síndrome do cólon irritável ela sugeriu o adesivo porque não passava pelo sistema digestivo e talvez fosse uma boa solução. O adesivo é muito bonito mas dos sítios onde pode colar-se, que em teoria são bastantes, na realidade só dá para colar no braço. Dos outros sítios descolam-se as pontas porque a roupa está sempre a raspar... no verão acertar com aquela porcaria de modo a que não se veja é uma tarefa espectacular e depois é um adesivo, ou seja, ao segundo dia tem aquelas marcas pretas da cola... fica maravilhoso. E também inchei um bocado. Mas pronto a coisa não estava a correr mal.

Fase III a ginecologista: Mudei de seguro e fui à ginecologista nova, contei-lhe tudo e vejo o maior torcer de nariz do século. Disse-me que compreendia perfeitamente a sugestão do adesivo mas que achava que a Yasmin e a minigeste® não eram as primeiras opções e que achava que eu não devia usar o adesivo. Eu que estava farta do adesivo disse logo que sim e a médica receitou-me mercilon®. Os primeiros 3 meses correram bem, apesar de ter engordado bastante. Ao quarto mês no dia de me aparecer o período vomitei o dia todo, andei dois dias a canja mas achei fosse uma virose até me ter acontecido o mesmo nos 3 meses seguintes. Voltei à consulta e a médica sugeriu fazer 3 caixas seguidas para “enganar” o sistema. Não ter período durante 3 meses é daquelas coisas que se estranha uma bocadinho mas depois é o melhor do mundo. O pior era a terceira caixa da pílula.... inchava de tal modo que no período de interrupção as pessoas perguntavam se eu tinha perdido peso tal era diferença! Fiquei com o peito muito inchado e dorido e por isso ao fim de 9 meses, como combinado fui à consulta e queixei-me. Solução: nova pílula, porque tenho história familiar de cancro da mama e embora faça ecografias anuais ela não me queria a tomar nada que me inchasse a mama ou causasse incómodo. Nova pílula: a Denille®, ao segundo dia já tinha as pernas inchadas e pesadas, depois às vezes tenho comichão nas pernas e coço e fico dorida como se tivesse levado uma pancada. Fiz caixa e meia e fui à consulta, em desespero a minha ginecologista receitou-me Minesse® que ainda não comecei, porque só faltam uns dias para acabar o mês de Denille®, mas espero que seja desta porque segundo me disse a ginecologista começa a não haver muito mais hipóteses porque já estou a esgotar os princípios activos (além do Etinilestradiol que todas têm, penso eu)... por isso se houver novidades postarei, mas espero que seja desta! Sobretudo espero que a minha experiência até agora possa ajudar alguém. Não conheço pessoalmente outras pessoas que tenham tido tanta dificuldade em encontrar uma pílula como eu tenho tido e ler os relatos de outras pessoas quando pesquisava opiniões sobre cada pílula nova que me receitavam, ajudou-me bastante a perceber que havia bastante gente por aí com problemas semelhantes. Para quem como eu está nesta demanda por uma pílula que não dê problemas e mau estar, boa sorte, espero que sofram menos do que eu!

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D